07/06/2017 11h44 - Atualizado em 07/06/2017 11h44

Chuvas retardam colheita da segunda safra e o plantio das culturas de inverno

O longo período de chuvas continuadas está provocando perda de qualidade do milho e do feijão da segunda safra, nas lavouras paranaenses que estão prontas para a colheita. O longo período de elevada umidade provoca a germinação dos grãos ou o ataque de mofo. Até o inicio desta semana, a colheita já tinha ocorrido em aproximadamente 65% das áreas de feijão e em 2% das lavouras de milho. Nas hortaliças folhosas cultivadas a céu aberto, o excesso de chuva pode inviabilizar a comercialização da produção, também em função da perda de qualidade.
As chuvas estão retardando o término do plantio das lavouras de inverno. Na cultura com maior extensão de área de plantio no Paraná, o trigo, a operação ocorreu em 75% da área prevista, de 992 mil hectares e 10% menor do que a cultivada em 2016.
As chuvas ainda impedem a realização dos tratos culturais e fitossanitários necessários ao combate às pragas e doenças.
Outro efeito das chuvas intensas é sobre o escoamento da produção, principalmente nas estradas vicinais com leito de terra, como por exemplo, do leite, dos lotes de frango e de suínos, dos grãos e da ração para abastecer os aviários e pocilgas. Também, durante o período de precipitação, inviabiliza o carregamento dos navios graneleiros no porto de Paranaguá,
As chuvas continuarão até o final da semana, quando teremos a frente fria mais intensa deste ano chegando ao Estado. As temperaturas deverão ficar abaixo de zero nas áreas mais altas da região sul, como os campos de Palmas e de Guarapuava. Em Curitiba, a temperatura permanecerá no campo positivo.
Em 06 de junho de 2017

Eugênio Stefanelo COLUNISTA Eugênio Stefanelo
SAIBA MAIS SOBRE O COLUNISTA
Apresentador do programa Negócios da Terra, professor da UFPR e doutor em economia agrícola.

últimas: notícias vídeos

Facebook Twitter Youtube E-mail