30/06/2017 17h39 - Atualizado em 30/06/2017 17h39

Milho abaixo do preço mínimo no Paraná

As safras mundiais 2016/17 e 2017/18 superiores a 1,0 bilhão de toneladas e estoques de passagem de 225 e 194 milhões de toneladas, segundo o USDA, estão baixando as cotações internacionais do produto para menos de U$ 4,0 o bushel.

A safra brasileira 2016/17 de 30 milhões de toneladas e a segunda safra, em processo de colheita, estimada em 65 milhões de toneladas são muito superiores ao consumo interno previsto em 56 milhões de toneladas. Como consequência, os preços recebidos pelos produtores paranaenses reduziram da média de R$ 33,73 a saca em 2016 para R$ 20,63 em maio deste ano e R$ 18,27 no final deste mês de junho, valor abaixo do preço mínimo de R$ 19,51 a saca.

Se o Brasil, em 2017, não exportar um volume superior a 30 milhões de toneladas, o ideal seria superior a 35 milhões, os preços recebidos pelos produtores se manterão abaixo do custo operacional de produção e do preço mínimo.

Esta situação está favorecendo o barateamento do custo de produção do frango, do suíno e do leite, que está chegando ao consumidor através de preços da carne e do leite também mais acessíveis.

As consequências serão a redução da área plantada de milho na safra 2017/18 e o aumento do preço do cereal, como já aconteceram em passado recente, mas isto é outra história que fica para depois.

Em 30 de junho de 2017

Eugênio Stefanelo COLUNISTA Eugênio Stefanelo
SAIBA MAIS SOBRE O COLUNISTA
Apresentador do programa Negócios da Terra, professor da UFPR e doutor em economia agrícola.

últimas: notícias vídeos

Facebook Twitter Youtube E-mail