19/07/2017 13h15 - Atualizado em 20/07/2017 13h16

Efeitos das geadas no Paraná sobre a agropecuária

A frente fria de forte intensidade, que atingiu a região Sul e parte do Mato Grosso do Sul, provocou a formação de geadas nas madrugadas dos dias 18 e 19, mais intensa no dia 19.

Nas regiões norte e noroeste de Estado houve formação na madrugada do dia 19, de baixa intensidade e apenas nas baixadas, sem dano econômico significativo nas lavouras de café, cana-de-açúcar e milho.

Nas regiões sul, sudoeste e oeste do Estado (traçando uma linha de Curitiba, a Castro, Ivaiporã, Campo Mourão e Marechal Candido Rondon), foram de moderada a forte intensidade nos dois dias e afetaram as pastagens de verão em final de ciclo, as hortaliças não protegidas (30% a 40% do total) e o trigo nas fases de florescimento e granação (50% do total da área da cultura). As geadas afetaram aproximadamente 330 mil hectares nas fases críticas e nestes ocorrerão perdas. Elas serão menores devido ao solo seco e ao imediato surgimento do sol, mas podem girar em torno de 10%. Uma avaliação definitiva só poderá ser feita em aproximadamente 10 dias. Nestas regiões, devido ao milho não colhido estar maduro, a perda também é insignificante.

Nas demais culturas de inverno e nos pomares de uva e maçã, em fase de dormência, as geadas foram benéficas.

Em 19 de julho de 2017

Eugênio Stefanelo COLUNISTA Eugênio Stefanelo
SAIBA MAIS SOBRE O COLUNISTA
Apresentador do programa Negócios da Terra, professor da UFPR e doutor em economia agrícola.

últimas: notícias vídeos

Facebook Twitter Youtube E-mail