23/08/2017 14h00 - Atualizado em 23/08/2017 14h00

O Déficit de armazenagem em números

O baixo investimento no Brasil não é novidade. Em 2016 foi de 16,4% do PIB, quando o mínimo necessário para a economia brasileira crescer e se desenvolver seria de 25% do PIB.

Nesta safra 2016/17, a produção recorde de grãos está mostrando a falta de investimento em infraestrutura de armazenagem. O propósito deste artigo é mostrar o quanto, em números.

A produção brasileira de soja, milho e trigo, na safra 2016/17, soma 216,4 milhões de toneladas e a paranaense 40,3 milhões de toneladas. Estas culturas são as que mais demandam armazenagem graneleira no Paraná.

A capacidade estática instalada de armazenagem graneleira é de 137,8 milhões de toneladas no Brasil e de 26,1 milhões de toneladas no Paraná.

Os estudos apontam que a capacidade estática instalada ideal deveria ser equivalente a 1,2 vezes a safra.

Se considerado este indicador, o déficit de armazenagem, neste ano, seria de 121,9 milhões de toneladas no Brasil e de 22,3 milhões de toneladas no Paraná.

Se considerada uma capacidade instalada equivalente a safra, o déficit seria de 78,6 milhões de toneladas no Brasil e de 14,2 milhões de toneladas no Paraná. Ressalta-se que os números indicados não consideram as produções dos demais cereais de inverno e nem a de arroz, concentrada no Rio Grande de Sul, e de feijão, no Paraná.

A projeção para os próximos 10 anos revela uma situação ainda mais crítica. Segundo os dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento, a produção brasileira das três culturas, em 2026/27, ficará entre 272,1 a 367,0 milhões de toneladas e a paranaense em 49,8 milhões de toneladas. Neste caso, e considerando o índice de 1,2 vezes a safra, a necessidade de ampliação da capacidade de armazenagem brasileira a granel seria de 188,8 a 302,6 milhões de toneladas, e se o equivalente a uma safra, de 134,3 a 229,2 milhões de toneladas.

No Paraná, considerando os mesmos índices de 1,2 ou uma vez a safra, o déficit seria de 33,7 ou de 23,7 milhões de toneladas.

Um desafio monumental em qualquer uma das situações, no Paraná e no Brasil.

Em 23 de agosto de 2017.

Eugenio Stefanelo.

Eugênio Stefanelo COLUNISTA Eugênio Stefanelo
SAIBA MAIS SOBRE O COLUNISTA
Apresentador do programa Negócios da Terra, professor da UFPR e doutor em economia agrícola.

últimas: notícias vídeos

Facebook Twitter Youtube E-mail